sexta-feira, fevereiro 13, 2015

Por que um "religioso" não será salvo?

"Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei" (Gál. 5:22-23).

Existe diferença entre ser um "cristão" e ser um "religioso"?
A princípio, sim.

Um religioso é aquele que segue uma religião, portanto, pode-se dizer que o budista é um religioso, o hinduista, o judeu, o muçulmano, e mesmo um espírita pode ser considerado um religioso. Existem alguns autores que colocam até os ateus no grupo dos "religiosos"!

Mas, ser um "cristão" é diferente. Neste grupo estão apenas os que creem, vivem e pregam sobre os ensinamentos de Jesus Cristo. Segundo a Bíblia, a primeira vez que os discípulos receberam este "rótulo" foi na cidade de Antioquia (cf. Atos 11:26). No original grego deste  verso é utilizada a palavra CHRISTIANOS, ou "aquele que segue a Cristo".

E eu posso professar seguir a Cristo mas não ser um "cristão"? Teoricamente, sim.
Até certo ponto é perfeitamente possível viver toda uma vida seguindo rituais e cerimônias do Cristianismo, mas não estar entre aqueles que Jesus considera como Seus. A declaração dEle em Mateus 7:21-23 é uma prova cabal disso!

E como saber se minha fé não está sendo enganosa? Como saber se eu estou realmente desfrutando do crescimento e da "novidade de vida" que os primeiros cristãos experimentaram? Como que as pessoas podem olhar para mim, e assim como em Antioquia, verem que eu sigo a Jesus?

A resposta é dada por Paulo na citação bíblica que abriu esta postagem: Gálatas 5:22-23.

Uma pessoa que está se deixando trabalhar pelo Espírito Santo, "fatalmente" demonstrará em sua vida O FRUTO deste Espírito. Sempre me intrigou esta designação no "singular" sobre a manifestação do Espírito Santo em nós! Quando Paulo fala de dons, ele usa o plural... Quando fala em ministérios de liderança, ele usa o plural... Mas quando Paulo foi inspirado a falar sobre o RESULTADO (é isto que um fruto é!) da atuação do Espírito Santo em nós, ele usa um termo no "singular": FRUTO. Não são "os frutos", mas O FRUTO. Isto deve nos levar constantemente à reflexão!

Quer dizer que eu posso ser bondoso e fiel, mas se não tenho a paciência, então o Espírito Santo não está habitando totalmente em mim? Parece que foi isso que Paulo quis ensinar aos Gálatas...

O apóstolo, que teve uma tremenda experiência de conversão, passando de "religioso" (cf. Filip. 3:5-6) a "cristão", nos leva a pensar sobre até que ponto nossa vida "devocional", "cerimoniosa", "litúrgica", "denominacional" está refletindo uma experiência verdadeira com Jesus.

Quantas pessoas que conhecemos, com uma aparente "consagração" infalível, mas que são pessoas de temperamento irritante, belicoso e anti-social?!

Quantos que são extremamente meticulosos no que devem comer ou vestir, mas que são avarentos e apegados aos bens materiais?!

Quantas esposas que, na Igreja, são modelos de "santidade", mas que com os parentes e vizinhos demonstram-se extremamente intemperantes e grosseiras?!

Quantos maridos que, com terno e gravata, até parecem o supra-sumo da fidelidade a Deus, mas que em seus lares são cruéis, implacáveis e tiranos com esposa e filhos?!
Quantos pastores, anciãos e líderes que deveriam ser um modelo na revelação do fruto do Espírito, mas que machucam, oprimem, magoam e ferem aqueles que estão sob sua "autoridade"?!

Amor,
Alegria,
Paz,
Longanimidade,
Benignidade,
Bondade,
Fidelidade,
Mansidão,
Domínio próprio


É fácil decorar versos bíblicos; saber doutrinas e profecias na ponta da língua; conhecer todas as combinações alimentares permitadas e proibidas; palestrar horas seguidas sobre os benefícios da soja em nossa dieta; ter dezenas de certificados do ano bíblico pendurados na parede; ler todos os livros escritos pelo Espírito de Profecia; dissecar todos os pormenores de Daniel e Apocalipse; etc, etc., etc...

O difícil é demonstrar aos que nos rodeiam se, realmente, Cristo vive em nós. Isso se revela não só por roupas características de "crente", ou por não usar maquiagem e joias, por exemplo... Isso os "religiosos" também conseguem fazer...

Mas o que o mundo deseja ver mesmo (e não conseguirá levantar contra-argumentos), é uma vida renovada e vivificada pelo Espírito do Senhor, evidenciando o seu COMPLETO FRUTO, com suas 9 partes, em nossa vida.

De que adianta passar horas e horas na Igreja, não perder a nenhum culto das madrugadas, estar em todas as Santas-Ceias, retiros, congressos, camporis, etc., se, ao chegar em casa, o caráter que é revelado aos parentes, amigos e familiares é o mesmo de uma pessoa que não tem nenhum contato com a fé cristã?!

De que adianta a própria existência da Igreja, se ela não consegue nos ajudar a vivermos à semelhança de Cristo? Para que ela serve se, ano após ano, continuamos os mesmos egoístas, grosseiros, imorais, petulantes, arrogantes, briguentos, críticos e encrenqueiros de sempre?!

De que adianta ter nascido em "berço Adventista", se anos depois eu revelo o mesmo caráter vil e perverso de outros que nasceram na mesma época que eu, mas em outro "berço"?!

Jesus veio para derrubar as barreiras que existiam entre a "religião" e a "fé".
- Os religiosos estavam sempre querendo disciplinas e apedrejamentos... Jesus queria curar e libertar.
- Os religiosos seguiam seus infindáveis rituais de purificação exterior... Jesus ensinava que o mais importante é purificar o interior.
- Os religiosos eram implacáveis e vingativos... Jesus perdoava e derramava Sua misericórdia sobre o pecador arrependido.

Aliás, das poucas vezes em que Jesus agiu com "grosseria" ou "dureza" foi exatamente contra os RELIGIOSOS.

Já pensou nisso?!

:::::::::::::::

Deixe que a verdadeira fé, uma fé viva em Cristo, nosso Salvador e Senhor, modifique tua vida de tal forma que o Espírito Santo encontre lugar para ali construir o Seu Templo (cf. 1Cor. 6:19).

Se até hoje a tua vida tem sido de rituais e cerimônias meramente religiosas, peça ao Senhor que te mostre a beleza de ser lavado(a) e regenerado(a) pelo "banho da graça", que Jesus deseja conceder a todos os que O seguem (Tito 3:5). Inclusive eu e você...

Desejo, de coração, que Jesus encontre entre os Adventistas do 7º Dia muito mais cristãos do que religiosos.

Maranata!

4 comentários:

Anônimo disse...

Dificil hein!
Mas faço das suas as minhas palavras... sejamos verdadeiros discipulos de Cristo!

Eduardo Greco disse...

Religioso significa "regramento" toda religião que se sente religiosa segue de forma respeitavel sua doutrina,muitas seitas também usa a palavra 'igreja" o cristão não religioso é aquele que serve a dois deuses Deus e a grande prostituta.

A.K.Renovatto disse...

Até Jesus foi "duro" com os religiosos de sua época que faziam tudo apenas para parecerem mais santos. Muitas vezes achava Jesus muito "duro" ao chamar pessoas de "raça de víboras ou hipócritas". Mas hoje compreendo, Jesus estava enojado de tanta "capa de religiosidade". Ele via os corações e sabia que tudo que faziam era apenas para aparentar santidade, mas que no íntimo não eram cristãos convictos e sinceros. Gostei do artigo.

isabel cristina disse...

Conforme o Dicionário Michaelis: Religioso diz respeito a:

Pertencente ou relativo à religião: Ensino religioso. Que procura viver de acordo com os preceitos da religião. Sagrado, santo. Ascético, místico. Austero, profundo. Escrupuloso, exato, pontual, observador, fiel.  Aquele que teme a Deus e procura fazer a sua vontade.
Sendo assim tenho prazer em anunciar que sou religioso e não me envergonho do Evangelho de Jesus Cristo, o Evangelho que exige renúncia, morte na cruz, purificação pelo sangue de Jesus Cristo, abandono da velha vida, da prática do pecado, que exige a tomada da cruz a cada dia, a morte da vontade própria, que exige a busca pelo Reino de Deus e por sua justiça, em que o que menos importa é o bem-estar do homem, desde que a vontade de Deus seja cumprida.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões