sexta-feira, março 24, 2017

Como as igrejas pequenas expulsam seus visitantes

Excelente texto preparado pelo Pr. Abdala... 
Concordo com cada palavra.

:::::::::::::::

Mais da metade de todas as igrejas Adventistas têm menos de 100 pessoas em frequência semanal. Embora alguns prefiram o modelo que mede o sucesso pelo número de pessoas reunidas em um só lugar, o verdadeiro sucesso ocorre quando os homens e mulheres cumprem o mandato de Deus de estabelecer novas igrejas onde antes não havia nenhuma. É por isso que as igrejas pequenas ainda são o sangue-vivo da nossa fé. Embora as pequenas igrejas não tenham os recursos que uma grande igreja tem, elas também devem crescer (Ef 4:16) até que envolvam membros “que procedem de toda tribo, língua, povo e nação” (Ap 5:9). Mas o que pode estar impedindo essas igrejas pequenas de crescer? Aqui estão algumas dicas práticas a serem consideradas por uma pequena igreja que considera melhorar a qualidade na recepção e assimilação dos visitantes.

1. Elas não são amigáveis ​​com os novos visitantes.

A maioria dos visitantes forma uma impressão sobre a igreja dentro dos primeiros 10 minutos de sua visita. É muito importante que eles sejam calorosamente recebidos quando chegarem e sejam guiados para um lugar apropriado. E a atenção dada pelos recepcionistas não substitui a atenção individual dos membros. Há dois momentos de tensão em sua experiência de contato com a igreja: quando eles entram no edifício e quando saem. Esse segundo momento é o mais negligenciado. É aqui que os membros se juntam em seus grupos e os visitantes acabam saindo sem atenção.

2. Elas são excessivamente amigáveis ​​para os novos visitantes.

Os visitantes gostam da atenção pessoal dos membros, mas não valorizam atenção pública. Os extrovertidos podem até não se importar com adesivos colados em sua roupa, em se levantar para dizer seu nome, mas os introvertidos (eu me identifico aqui) preferem a anônima privacidade.

Tenha em mente que a maioria dos visitantes de sua igreja está inicialmente explorando sua comunidade. Alguns gostam de participar de um pequeno grupo e de atenções e outros simplesmente preferem observar antes de participar. Evite constranger as pessoas que visitam a sua igreja pela primeira vez colocando-as no foco das atenções.

3. Não existem fontes de informação.

Torne o quanto possível fácil para um visitante obter mais informações sobre a igreja ou sobre como se conectar com uma atividade ou ministério da igreja que atenda sua necessidade. Certifique-se de que exista um lugar ou uma mesa onde um visitante possa obter informações ou folhetos. Você também pode considerar colocar informações em alguns dos assentos ou nos compartimentos atrás de cada banco. Pelo menos, mostre o website da sua igreja na tela durante o tempo do anúncio.

4. O serviço de culto é mal executado.

Uma pequena igreja raramente tem os recursos e a tecnologia de uma igreja grande, mas isso não deve impedi-la de executar um serviço de adoração consistente e excelente. Aproveite o tempo para treinar adequadamente seus voluntários com os equipamentos de iluminação e som. Os músicos estão preparados para os serviços do sábado ou domingo à noite? Se não, considere implementar uma prática de ensaios durante a semana ou na manhã antes do programa. Certifique-se de que todos conhecem suas dicas de transição ao entrar e sair da plataforma para evitar momentos mortos. Não custa investir qualquer dinheiro extra para fazer as coisas bem.

5. Há muito foco nos “assuntos da igreja”.

De vez em quando, é necessário que uma igreja reserve algum momento para leitura de atas da comissão ou anúncios de suas atividades em um culto de adoração. Este pode ser um anúncio sobre um próximo evento ou sobre o funcionamento de determinado departamento ou ministério. Mas certifique-se que isto não ocupe uma grande parte do serviço ou seja uma ocorrência semanal. Os visitantes não são emocionalmente preparados para entender os conflitos e problemas da igreja e podem sentir que esses anúncios estão fora de lugar.

6. Eles se sentem pressionados durante a oferta.

Dar é uma parte importante e necessária da igreja. Não é apenas bíblica, mas também é uma prática espiritual maravilhosa para os membros da igreja. Quando bem feito, esse momento constrói a comunidade e encoraja a generosidade fora dos muros da igreja. Mas certifique-se de que a maneira pela qual sua igreja pede as ofertas não é uma prática estranha ou igual a determinados pastores da mídia. Um visitante não deve sentir a obrigação de dar.

7. Eles não são assimilados na igreja.

Igrejas que assimilam os visitantes, geralmente fazem uma visita ou uma ligação telefônica dentro de 48 horas (recomenda-se que esse primeiro contato seja feito por telefone ao invés de pessoalmente). Deve ser um breve contato para fazer o visitante saber que a igreja apreciou sua presença e perguntar-lhe se existe algo que a igreja possa fazer para ajudá-lo. O propósito desse contato é familiarizar e encorajar o visitante a retornar uma segunda vez. Não se deve tentar evangelizar nesse primeiro contato.

Se o visitante retornar, um segundo contato deve ser feito, agora através de uma visita feita preferencialmente por membros leigos da mesma idade. Um casal idoso visitando um casal jovem não ajuda a construir relacionamentos nesse estágio inicial de seu envolvimento com a igreja. Deve-se encorajar o visitante a se envolver em alguma atividade da igreja. Se eles cantam, convide-os a se unirem a um grupo musical. Se eles têm crianças, matricule-as no Clube de Desbravadores. Caso tenham interesse em estudar temas especializados do interesse do casal, sugira um pequeno grupo para ajudá-los a ter companheirismo com outros casais da igreja. Se eles não são adventistas, ofereça-lhes um estudo bíblico nesse ponto. Lembre-se que as pessoas precisam integrar-se a outras pessoas antes que se sintam parte da igreja. Temos de entender que conhecer doutrinas não é a única coisa importante para alguém que se une à igreja.

E agora, como você vai se preparar para receber seus visitantes neste final de semana?


Fonte: site da Missão Urbana - UCB

veja também:
- Me senti o homem invisível


Um comentário:

A.K.Renovatto disse...

Apreciei bastante essa pregação e também concordo com cada palavra. Seu blog apresenta dicas excelentes para as igrejas adventistas (mas que eu particularmente, acho que poderia servir muito para outras igrejas também). No geral, todas as denominações têm algumas dificuldades em comum e dicas boas podem auxiliar muito. Particularmente tenho um carinho especial por igrejas menores (nada contra as grandes). Com visitas penso que têm que haver bom senso, a visita não deve passar despercebido, mas também não deve se tornar o centro das atenções porque há pessoas tímidas que ficam deslocados quando notam que todos os olham e focam atenção nelas. A visita deve ser recebida com carinho, simpatia, mas dentro da moderação para não constranger os introvertidos. Deus o abençoe.

Cursos Básico, Médio e Avançado

Ebook 101 Razões